26 de junho de 2018

Do futebol - II

Sim, vou seguir a selecção até à final, se ela lá chegar, e eu também. Orientada pelo incontestável saber e entranhada fé cristã, católica apostólica, do seleccionador Fernando Santos, a rapaziada lá se conseguiu desenvencilhar da muito combativa e emotiva equipa do Irão, do ressabiado e ressentido Carlos Queiroz, com o benefício de uma espectacular trivela do Quaresma, e apesar do Ronaldo, o nosso melhor futebolista avançado do mundo, ter borrado a pintura da sua endeusada reputação, ao falhar uma grande penalidade e, desabrido, ter "acariciado" um adversário.
Embora se finja que sim, ninguém perdoa o falhanço de um penalty. Ai se o Irão tivesse aproveitado as duas grandes oportunidade de golo que teve na parte final do jogo!
Seja como for, estamos nos oitavos-de-final, e vamos defrontar o Uruguai. Não é bom, não é mau, é apenas mais um obstáculo. Que a rapaziada atrapalhe com firmeza, genica, vontade e atenção, os intrometidos,  os não deixe por o pé em ramo verde, e o Ronaldo faça o que ninguém melhor do que ele sabe fazer. E lá vamos nós...

24 de junho de 2018

De "Ponte Europa"

Do blogue citado em título, leia-se o oportuno e justo artigo de Carlos Esperança, O VALE DOS CAÍDOS E A ESPANHA FRANQUISTA. Chamar a atenção para ele, para a sua leitura, é o melhor comentário que lhe posso fazer.

20 de junho de 2018

Do futebol

Rendo-me! Quem sou eu para não o aceitar? Pois, então, também eu vou falar de futebol. Para dizer o quê? Que por este andar ainda vamos ser campeões do mundo, depois de termos sido, e sermos, campeões da Europa. Não, propriamente, por sermos os melhores, mas por termos uma rapaziada que está sempre no caminho da bola a atrapalhar o adversário, a não o deixar concretizar, e, principalmente, por termos o melhor avançado futebolista oportunista do mundo, o Ronaldo. Foi assim que empatamos com a Espanha, e até podíamos ter ganho, e foi assim, milagrosamente, que ganhámos a Marrocos. Ai, se eles tivessem um Ronaldo. Ronaldo não é o melhor futebolista do mundo, é, sim, o melhor avançado do mundo, se o critério de escolha for o número e a qualidade dos golos marcados. A excepcional qualidade de Ronaldo é a de concretizar, quase a cem por cento, as oportunidades de golo que ele próprio conquista ou os colegas lhe oferecem. Hoje, foi assim, a oportunidade surgiu aos 4 minutos de jogo e ele não perdoou. Portanto, repito, por este andar, com dez , garbosamente, a atrapalhar e um, oportunamente, a marcar, ainda vamos ser campeões do mundo de futebol.

4 de junho de 2018

De Campo d'Ourique III

É justo informar, e apraz-me fazê-lo, o assunto que dera por arrumado voltou à baila, houve diligências consensuais, e a Biblioteca do Espaço Cultural Cinema Europa sempre irá receber, assim o espero, os livros que da minha biblioteca me propus oferecer-lhe. Ei-los:


LITERATURA DE FICÇÃO
EUROPA

ALEMANHA
Doblin, Alfred: Berlim Alexanderplats
Hess, Herman: O jogo das contas de vidro 
Hess, Herman: Siddhartha 
Hofman, Gert: O homem do animatógrafo
Lohr, Robert: A máquina de xadrez  
Mann, Thomas: José e seus irmãos 
Mann, Thomas: O jovem  José 
Mann, Thomas: José no Egipto
Mann, Thomas: José o provedor

BELGICA
Simenon, George: O homem que via passar os comboio

DINAMARCA
Hoeg, Peter: A senhora Smilla e a sua especial percepção da neve

ESPANHA
Ballester, Gonzalo Torrente: Fragmentos do Apocalipse 
Ballester, Gonzalo Torrente: A bela adormecida vai à escola
Ballester, Gonzalo Torrente: A morte do decano 
Ballester, Gonzalo Torrente: O romance do Pepe Ansúrez 
Cunqueiro, Álvaro: O ano do cometa com a batalha dos quatro reis
Mendoza, Eduardo: A cidade dos prodígios 
Molina, António Muños: O dono do segredo
Molina, António Muñoz: Baltenebros 
Pérez-Reverte, Arturo: A rainha do sul 
Pérez-Reverte, Arturo: O cemitério dos barcos sem nome
Pérez-Reverte, Arturo: A sombra da águia 
Pérez-Reverte, Arturo: O pintor de batalhas
Pérez-Reverte, Arturo: Um dia de cólera 
Pérez-Reverte, Arturo: O tango da velha guarda
Pérez-Reverte, Arturo: O franco atirador paciente
Taibo II, PaçoI: A quatro mãos 
Vázquez-Figueiroa, Alberto: Tuaregue 
Vázquez-Figueiroa, Alberto: Negreiros

FRANÇA
Daeninks, Didier: Crimes para arquivar 
Daeninks, Didier: O carrasco e o seu duplo
Daeninks, Didier: O factor fatal 
Dumas, Alexandre: O cavaleiro de Sainte-Hermine (2 vols.)
Japp, Andrea H.: O sacrifício da borboleta
Japrisot, Sébastien: Senhora em automóvel com óculos e caçadeira
Sartre, Jean-Paul: A idade da razão 
Sartre, Jean-Paul: Pena suspensa 
Sartre, Jean-Paul: Com a morte na alma
Siniac, Pierre: Balada da cidade triste 
Sullivan, Vernon (Boris Vian): Morte aos feios
Vautrin, Jean: O rei do lixo 

HOLANDA
Mulisch, Harry: O assalto 
Wetering, Janwillen van de: O cadáver no dique


ITÁLIA
Camilleri, Andrea: Um mês com Montalbano 
Maurensig, Paolo: O jogo de morte: variante de Luneburg
Salgari, Emílio: Os mistérios da selva negra,  
Salgari, Emílio: Os tigres de Mopracem,  
Salgari, Emílio: A rainha das Caraíbas, 
Salgari, Emílio: Iolanda, a filha do Corsário Negro,  
Salgari, Emílio: O filho do Corsário Verde,  
Salgari, Emílio: Os últimos flibusteiros,

NORUEGA
Fossum, Karin: O olhar de um desconhecido 
Gaarder, Josteinr: O mundo de Sofia 
Nesbo, Jo: Caçadores de cabeças 

PORTUGAL
Aniceto, João: O quarto planeta,
Aniceto, João: O desafio,
Aniceto, João: A lenda,
Barreiros, João e Luís Filipe Silva: Terrarium,
Barrento, Maria Isabel: O mundo sobre o outro desbotado,
Barrento, Maria Isabel: O círculo virtuoso,
Cabral, Alexandre: Um português em Cuba,
Cabral, Alexandre: Memórias de um resistente,
Cabral, Alexandre: O Sol nascerá um dia  
Cabral, A.P.: O feitiço das trevas,
Campos, Fernando: O cavaleiro da Águia,
Costa, Luís Alves da: As cidades da abundância,
Direitinho, José Riço: O relógio do cárcere,
Faria, Filipe: A manopla de Karasthan,
Ferreira, José Gomes, A memória das palavras, 
Gaspar, José da Natividade: O mistério dos corpos sem luz, 
Guerra, João Paulo: Romance de uma conspiração, 
Loureiro, Manuel José: Chandler & Marlowe 
Loureiro, Maria Teresa: Memórias de papel, 
Loureiro, Maria Teresa: Encontro no teu olhar,
Loureiro, Maria Teresa: A mulher que coleccionava tempos inexistentes
Loureiro, Maria Teresa: Vasco Santana,
Marques, Helena: A deusa sentada,
Melo, Romeu de: Não lhes faremos a vontade,
Nepomuceno, Nuno: A hora solene,
Nicolau, Henrique: Alcança quem não cansa,
Nicolau, Henrique: A arca do crime,
Nicolau, Henrique: O assombrado,
Nicolau, Henrique: Todos e nenhum,
Portela, Artur: Três lágrimas paralelas,
Rodrigues. Urbano Tavares: Nunca diremos quem sois,
Sampaio, Albino Forjaz de Sampaio, Palavras cínicas, 
Silveira, António: Morto em combate, 
Tavares. José Fernando: Kauchemar, o touro vermelho, 
Tordo, João: Anatomia dos mártires,
Torres, Alexandre Pinheiro: Tubarões e peixe miúdo,
Torres, Alexandre Pinheiro: Vai alta a noite, 
Vários autores: Contos policiais, 
Vários autores: Ficções científicas & fantásticas, 
Viegas, Francisco José: O mar em Casablanca,  
Antologia do conto português fantástico 


REINO UNIDO
Allingham, Margery: Morto duas vezes 
Ambler, Eric: Epitáfio para um espião 
Ambler, Eric: A máscara de Dimitrios
Amis, Kingsley: O crime do século 
Amis, Kingsley: Homicídio em Riverside Villas 
Blake, Nicholas: A fera tem de morrer, 
Carr, John Dickson: A bengala de estoque,
Chesterton, G. K.: A inocência do padre Brown,  
Chesterton, G. K.: A argúcia do padre Brown, 
Chesterton, G. K.: O segredo do padre Brown,
Chesterton, G. K.: O escândalo do padre Brown,
Christie, Agatha: Anúncio de um crime,  
Clarke, Susanna: Jonathan Strange & o sr. Norrell 
Collins, Wilkie: A mulher vestida de branco,  
Crispin, Edmund: Crime no colégio,  
Deaver, Jeffery: Carta branca 
Follett, Ken: A chave para Rebecca,  
Follett, Ken: O homem de Sampetersburg,  
Follett, Ken: Voo final
Follett, Ken: A ameaça 
Freeling, Nicolas: O rei de um país chuvosa, 
Harris, Robert: Enigma 
Innes, Michael: A torre e a morte, 
Ishiguro Kazuo: O gigante enterrado
James, P.D.: Os filhos dos homens
Keating, H. R. F.: O assassinato perfeito,
Kerr, Philip: Um assassino entre os filósofos
Kerr, Philip: A vingança serve-se fria 
Lawrence, D. H.: A serpente emplumada,
Le Carré, John: O gerente da noite 
Le Carré, John: O alfaiate do Panamá
Le Carré, John: Um homem muito procurado
Le Carré, John: O canto da missão 
Marsh, Ngaio: Perfume fatal, 
McDermid, Val: O canto das sereias
McDermid, Val: Um eco distante
McIIvanney, William: Um homem de Glasgow,
Nabb, Magdalen: Morte de um inglês, 
Nabb, Magdalen: Morte de um holandês
Nabb, Magdalen: Morte na Primavera 
Nabb, Magdalen: Morte no Outono 
Nabb, Magdalen: O sargento e o assassino
Nabb, Magdalen: O sargento e a louca 
Nabb, Magdalen: O sargento e o seu caso
Norbu, Jamyang: Sherlock Holmes, os anos desconhecido
Perry, Anne: Belgrave Square 
Porter, Henry: A vida de um espião
Rushdie, Salman: A feiticeira de Florença
Summerscale, Kate: As suspeitas do sr. Whicheer 
Wells, H. G.: A ilha do doutor Moreau, 
Willocks, Tim: Motim em Green River 
SUÉCIA
Kepler, Lars: O hipnotista 
Kepler, Lars: A vidente 
Lackberg, Camila: A princesa de gelo 
Larsson, Asa: Sangue derramado 
Mankel, Henning: O homem de Pequim 
Mankel, Henning: Um anjo impuro (2011)



LITERATURA DE FICÇÃO
AMÉRICA
CANADÁ
Engel, Howard: Os suicidiocídios 
Engel, Howard: O jogo do resgate 
Engel, Howard: O crime tem uma revelação

CHILE
Bolaño, Roberto: Os detectives selvagens

ESTADOS UNIDOS
Auel, Jean M.: O vale dos cavalos 
Auel, Jean M.: Os caçadores de mamutes I e II 
Auel, Jean M.: Planícies de passagem, I e II
Block, Lawrence: Oito milhões de maneiras de morrer 
Block, Lawrence: Na linha da frente 
Brown, Dan: O código Da Vinci 
Brown, Fredric, O tio prodigioso 
Caldwell, Ian e Dustin Thomason: A regra de quatro
Chabon, Michael: O sindicato dos policias íidiches 
Coben, Harlan: Atirar a matar
Coben, Harlan: O atleta desaparecido
Coben, Harlan: Tacada mortal 
Coben, Harlan: Um passo em falso 
Coben, Harlan: Perigo final 
Constantine, K. C.:O caso de Joey
Cornwell, Patrícia: Corpo de delito
Cornwell, Patrícia: Tudo o que resta 
Cornwell, Patrícia: Cruel e invulgar 
Cornwell, Patrícia: A quinta dos cadáveres
Cornwell, Patrícia: O cemitério dos sem nome
Cornwell, Patrícia: Contágio perverso 
Cornwell, Patrícia: Scarpetta 
Crais. Robert: O anjo da destruição
Crichton, Michael: O sol nascente 
Ellroy, James: Sangue na lua 
Ellroy, James: No escuro da noite 
Ellroy, James: A colina dos suicídios
George, Elizabeth: Na presença do inimigo
George, Elizabeth: Decepção fatal 
George, Elizabeth: Perseguindo o seu pecado
George, Elizabeth: Memória infiel 
George, Elizabeth: Morte sem testemunhas 
George, Elizabeth: Um ninho de mentiras 
Grafton, Sue: “B” de busca 
Grafton, Sue: “C” de cadáver
Grafton, Sue: “D” de dívida 
Grafton, Sue: “E” de evidência
Grafton, Sue: “F” de fugitivo 
Grafton, Sue: “N” de nó 
Grafton, Sue: “O” de ódio
Grafton, Sue: “P” de perigo
Grisham, John: O manipulador
Isaacs, Susan: Ao fim de tantos anos
Leon, Donna: O estranho caso Ford
Leonard, Elmore: Na casa de Honey
Leonard, Elmore: Unha com carne 
Paretski, Sara: Laços de sangue 
Paretski, Sara: Marcas de fogo 
Paretski, Sara: O anjo-da-guarda
Paretski, Sara: Mergulho no passado
Rice, Anne: A hora das bruxas 
Rice, Craig: Cilada triangular 
Scottoline, Lisa: Corrupção na justiça
Stout, Rex: A liga dos homens assustados
Turow, Scott: Danos pessoais 
Turow, Scott: Erros reversíveis
Valin, Jonathan: Lago de fogo 
Westlake, Donald: O roubo do banco
Wilson, Robert Charles: Darwinia 
Wolfe, Tom: A fogueira das vaidades



LITERATURA DE NÃO-FICÇÃO

economia
Krugman, Paul: O regresso da economia da depressão e a crise actual 
filosofia
Kant, Immanuel, Crítica da faculdade do juízo
história
Amaral, Diogo Freitas do: D. Afonso Henriques
Bouchon, Geneviève, Vasco da Gama
Bouchon, Geneviève: Afonso de Albuquerque
Disney, A. R.: História de Portugal e do império português 
Ferguson, Niall: História virtual
Lowith, Karl, O sentido da história
Mossé, Claude: Síntese de História Grega
Vergé-Franceschi, Michel: Henrique O Navegador
literatura
Loureiro, Manuel José Trindade: O fantástico, a ficção científica e géneros afins na novelística portuguesa
política
Acemoglu, Daron e James A. Robinson: Porque falham as nações 
Beck, Ulrich: A Europa alemã 
Boudon, Raymond: O lugar da desordem 
Bouthoul, Gaston: Sociologia da política
Chomsky, Noam: Hegemonia ou sobrevivência
Chomsky, Noam: Nova Iorque 11 de Setembro 
Clarke, Richard A.: Contra todos os inimigos 
Dahl, Robert: Análise política moderna 
Duverger, Maurice: Os grandes sistemas políticos 
Duverger, Maurice: Sociologia da política 
Duverger, Maurice: A Europa dos cidadãos
EIias, Norbert, A condição humana
Espada, João Carlos: A tradição da liberdade     
Herpin, Nicolas: A sociologia americana 
Maquiavel, Nicolau, O Príncipe
Maxwell, Kenneth, A construção da democracia em Portugal 
Scheuer, Michael: Orgulho imperial 
Sfez, Lucien: Crítica da decisão 
Soros, George: A bolha da supremacia americana 
Vários Autores: Império contra o Iraque (O) 
Weber, Max, A ética protestante e o espírito do capitalismo 
Winter, Oswald Le: Desmantelar a América 
Wright, Lwrence: A torre do desassossego 
religião
Burkert, Walter: Religião grega na época clássica e arcáica 
Hutchison. Robert: O mundo secreto do Opus Dei 


25 de maio de 2018

De Campo d'Ourique - II

Quem espera sempre alcança. A resposta sempre veio, e rápida, talvez estimulada pelo facebook, presumo. Não do senhor Presidente da Junta, que, e bem, terá muito mais em que pensar, mas, e, também, bem, da pessoa responsável pela Biblioteca, presumi, e presumo, eu.
Transcrevo o que se passou:

CARTA:
Assunto: Doação de livros para a Biblioteca/Espaço Cultural Cinema Euro
Exm.o Senhor ...
na sequência das cartas por si enviadas declarando o seu intuito de doar livros à Biblioteca... vimos por este meio agradecer desde já a sua disponibilidade e pedir que nos forneça o seu contacto telefónico por forma a combinar a execução da mesma.
Em alternativa poderá contactar-nos através do seguinte telefonema .... ou email....
Com os melhores cumprimentos.
 
E-MAIL (meu):
Assunto: Biblioteca
Acuso e agradeço a carta enviada sobre o assunto em questão, e, no seu seguimento desde já envio os meus contactos telefónicos: ......... e o meu email......
Cumprimentos.

TELEFONEMA de alguém dos serviços da Biblioteca perguntando-me, sem mais, e apenas, quantos livros ia oferecer.

PERGUNTO-ME, consternado: Então, nem se considerou uma pequena reunião para tratar, combinar, falar sobre o assunto?

E-MAIL (meu):
O telefonema recebido, não vosso, mas dos vossos serviços, foi, a meu ver, a confirmação do pouco ou nenhum interesse em que sempre foi e está a ser considerado o meu propósito de oferecer livros da minha biblioteca particular à chamada Biblioteca/Espaço Cultural Cinema Europa. Assim sendo, com alguma consternação o digo, venho pelo presente informar que desisto desse meu propósito.
Cumprimentos.

ASSUNTO ARRUMADO




22 de maio de 2018

FUTEBOL

Gostaria de ter escrito o artigo de João Pedro Henriques, publicado no Diário de Notícias de hoje, intitulado: "Sim, é o fascismo (não há volta a dar)". Ei-lo:

O que está em causa é político porque a forma como o homem assenta o seu poder naquele clube está há muitos anos escrita na história, teorizada de alto a baixo, diagnosticada, com provas dadas e milhões de mortos no caminho. Chama-se fascismo. Não tem outro nome: fascismo. Porque não se trata apenas de uma forma autoritária de exercer o poder. É uma forma autoritária de exercer o poder que alcança usando as regras da democracia, operando dentro dessas regras - e com o único propósito de as subverter, para não dizer arrasar. Esse é o mecanismo do fascismo. E faz isso falando ao coração de uma ralé violenta, multiplicando discursos de exploração da inveja social dessa ralé, fazendo de tudo uma permanente luta de classes. Dando a essa vasta massa, até agora inorgânica, a ilusão de que são eles que mandam, penalizando a seu bel-prazer os que na organização falham - ou seja, conferindo-lhes afinal um poder que acaba por ser bastante orgânico, portanto instrumentalizável (em favor do chefe), articulável, intimidatório. Um poder que, ainda por cima, tem outra virtualidade (do ponto de vista do interesse do líder): afastar para as periferias os que internamente se indignam mas que ao mesmo tempo pensam que isso não merece o seu máximo empenhamento porque afinal isto "é só futebol". Não, não é só futebol.
Ou melhor: é futebol, mas como terreno propício para que outras coisas bem mais vastas germinem, quiçá se transformem em votos, quiçá escolhendo políticos e quiçá começando também a ameaçar directamente os outros políticos concorrentes (ou do próprio partido que teimem em não ser reverentes ao chefe).
É certo que à credibilidade da organização de que falamos não ajuda o facto de o debate estar polarizado entre um chefe alucinado e dois banqueiros que quase só aparecerem nos jornais nas páginas de assuntos criminais. Mas entre uns e outros haverá pessoas sérias, e são essas que devem avançar. Percebam: é muito mais do que um clube que está em causa.
PS - Morreu António Arnaut. Não foi só o pai do SNS em 1978--79. Foi alguém que em 1973 ajudou muito Mário Soares a criar o PS e alguém que se manteve desde o início bastante bem informado sobre as movimentações dos militares que depois fariam Abril. E foi mais: um político como já há poucos, que não só deixou obra como o fez não ficando no fim nem mais rico nem mais pobre do que era antes da política. Tristes os tempos em que começamos a achar que homens assim são de exceção. Não deviam ser".

20 de maio de 2018

DE CAMPO D'OURIQUE


 
          Campo d’Ourique, bairro onde nasci e sempre vivi, e vivo, tem, finalmente, uma Biblioteca Municipal, inaugurada já o ano passado, em Abril de 2017, no Dia Mundial do Livro.
            Ei-la, no espaço do velho e saudoso cinema Europa, rival do velho e saudoso cinema Paris, da freguesia irmã. a Estrela, este fechado e reduzido a uma vergonhosa degradação. Ambos, por assim dizer, ao pé da porta, é, sim, com saudade, que os recordam os meus preguiçosos 89 anos. Dois cinemas, de reprise, que, diariamente, em duas sessões, uma à tarde e outra à noite, exibiam dois filmes em cada uma delas, não os mesmos, evidentemente.
        Pois, voltando à Biblioteca, recordo que ao saber da iniciativa, muito antes, pois, da  inauguração, veio-me o propósito de oferecer à dita, muitos dos meus livros, tendo disso dado conta ao Presidente da Junta de Freguesia, através de duas cartas, a primeira a 29 de Dezembro de 2015, em que me apresentava e o informava da minha intenção, a segunda, de insistência, face ao silêncio, em 29 de Janeiro de 2016, e, posteriormente, através de um e-mail, a informar a Junta da minha oferta. E terá sido, presumo eu, esse e-mail, a provocar, então, a breve carta-resposta de 23 de Fevereiro, nada consentânea com o teor das duas que eu enviara, na qual o Presidente da Junta se limitava a  agradecer a proposta, informando, que apenas gostaria de considerar a oferta um pouco antes da abertura da Biblioteca, aliás, do Centro Cultural de que ela faria parte.
           Já não foi grande a surpresa, mas a verdade é que nunca cheguei a ser contactado, nem antes nem depois da inauguração. Naturalmente, lamentei-o, pois considerava, como considero, que, por pouco que fosse, alguns dos livros da minha biblioteca, a escolher, poderiam valorizar, reforçar, a Biblioteca Municipal.
          Sim, tenho uma biblioteca, toda ela espalhada pela casa onde habito, dado não haver um só compartimento com capacidade para albergar todos os livros que a compõem. Sim são demasiados (cerca de 3.000), mas como resistir à vontade de os ter, para, além de os ler, voltar a ler, e tornar a ler? Gosto de livros, sempre gostei, mas além de os ler,  gosto também de os ver e ter, à vista e à mão, para os recordar, consultar, manusear. Adiante!
          Enfim, já algo desmotivado, desinteressado face ao desinteresse com que a minha proposta estava a ser recebida, mas por descargo de consciência e alguma curiosidade, no dia 19 de Abril do ano em curso, enviei uma terceira carta ao Presidente da Junta, relembrando-lhe o assunto, pondo-me à disposição. E fiquei à espera!
             E cá estou à espera!